Eu era apenas mais uma


{ } "Fala pra ela…
Que o sorriso dela é lindo.
Que o cheiro dela te persegue.
Que seu sonho é dormir e acordar com ela…
Fala, garoto, fala pra ela.
— Tatiane Nunes
tagged: capi15  

Capítulo 15

Gabs voltou para casa. Eu tava no meu quarto sentada na beirada na cama, então ouvi os passos dele subindo as escadas. Os passos eram lentos e pesados. A cada pisada no chão dava para sentir. Ele não estava no seu estado normal. Levantei da cama e fui abrir a porta. Se não ele era capaz de arrebentá-la.

Tamara: Gabs?! – eu disse colocando a mão na boca –

O Gabs tava péssimo, pálido e os olhos vermelhos. Estava chorando. Pelo menos parecia  

Tamara: O que aconteceu amor? – disse pegando na mão dele e o levando para dentro do quarto –

Gabs: Eu sei quem atropelou a Mary, ela me disse.

Tamara: A Isabella te contou? Vai Gabs, desembucha logo, deve ser ruim porque tu ta até chorando. – o Gabs foi direto pra cama, se sentou apoiando os braços no joelhos e me sentei do lado dele –

Gabs: Foi o Eduardo, aquele cretino.

Tamara: Meu deus! – coloquei as mãos na cabeça – como ele foi capaz de fazer isso!

Gabs: Também não sei, já basta ele te encher o saco, agora ele tem que encher o da Mary.

Tamara: Mas… Como que a Isabella sabe disso? – Eu disse me virando pro Gabs. – Hein?

Gabs: Ela tava junto, ela me disse que eles foram numa balada ai e depois o Edu foi dirigir e não viu, acabou atropelando a Mary.

Eu e o Gabs começamos entao a conversar, e tirar nossas próprias conclusões. Algum dia desses por ai, o Eduardo ira achar alguém mais forte do que ele. E que ira machucá-lo seja por dentro ou por fora. A gente não ia deixar barato. Não mesmo. 

Depois de horas e horas conversando eu e o Gabs decidimos dormir, fui tomar banho e ele ficou no quarto. Troquei de roupa e fui me deitar junto a ele. Não consegui dormir a noite inteira. Desci as escadas e fui até a geladeira.

Gabs: O que faz aqui sozinha pequena? – ele disse –

Tamara: To sem sono amor.  – eu disse pegando um pedaço de melancia na geladeira. – e to morrendo de fome. – ele deu um sorriso. – e também to preocupada com a Mary, será que ela viu que foi o Edu? Porque tipo, os caso que ela teve com ele e tals, sei la.

Gabs: Eu rezo para ficar tudo bem, que ela melhore. E afinal ela tem o seu primo ao lado dela, sempre que tu tem uma pessoa do seu lado, tudo melhora, como dizem as garotas, é um mundo cor de rosa.

Tamara: As garotas não dizem isso.

Gabs: Não? – eu balancei a cabeça. – Vish

Demos risada.

Gabs: Bom, melhor voltarmos lá pro quarto, se não seu pai acorda ou sua mãe. – dei risada.

Tamara: Ta com medo é?

Gags: Estou me prevenindo. – ele disse erguendo os braços e depois vindo me abraçar – vem vamos. – e entao ele me carregou até o topo das escadas.

                            - no dia seguinte –

Hoje era segunda entao era obvio que tinha colégio. Uma coisa que todos odeiam. Pelo menos eu. Tomei banho e logo depois o Gabs tomou, coloquei uma calça jeans, um tênis e uma blusa de lã, tava muito frio. A Mary ta de repouso na casa dela e o David foi cuidar dela (oownt que coisa fofa). Entao fui a pé com o Gabs. Chegando ao colégio fui direto para a sala, porque tava morrendo de sono. E o Gabs foi para o campo de futebol.

                             - Gabs –

Chegando ao campo me sentei num banco e fiquei observando tudo a minha volta. As pessoas, tudo. Até eu achar a pessoa que eu procurava. Eduardo.

Gabs: Ola assassino. – disse dando um soco em sua cara.